deus-20-c3-89-20fiel-20melhor-fw
Preço e valor: qual a diferença?

Vendemos Qualidade para quem percebe.

Muitas vezes o mercado atribui um valor para um serviço ou produto, entretanto este deve ser identificado pelo cliente, na hora da compra, através da identificação das características do serviço ou produto com necessidades pessoais.
A relação entre preço e valor.
“Existe uma grande diferença entre o preço de um produto e o valor que o mesmo representa para mercado e consumidores”
“O chamado valor percebido”

Valor é que você percebe, preço é que você paga.

Exemplo: você encontra uma promoção de um Rolex, pelo valor de R$ 5.000,00. A primeira coisa que irá fazer é olhar se o vendedor é de confiança, ou não. Não é mesmo?
Quando a percepção de valor está acima do preço, o mercado percebe. Por outro lado, a percepção de valor construída pela empresa que fabrica o produto, cria o preço que ele chega ao mercado. Por isso, os valores estratosféricos do Rolex não se devem às suas peças, ou ao seu ponteiro que marca as horas, nem pela sua pulseira. Mas sim pela ideia de valor que o mundo e mercado construiu, para o relógio dessa empresa.
No caso de preço e valor, a diferença básica está na relação, com o consumidor. O valor é algo muito importante, que pode variar muito conforme aspectos culturais, sociais e até mesmo pessoais.
Embora muitos ainda façam essa confusão, valor e preço são duas coisas completamente diferentes no mundo das negociações. Quando se fala em valor de determinado produto, as pessoas imediatamente remetem para o gasto, ou seja, para quanto estão dispostas a desembolsar. E é aí que está o X da questão: dinheiro está relacionado a preço, e não a qualidade da consultoria ou do produto. O valor só existirá se o produto ou serviço apresentar algum benefício ao cliente.

Ouvi de uma pessoa que o produto dela era de grande valor, porque permitia isso e aquilo. Quando terminou de falar, eu tive de dizer: “seu produto não tem valor algum”. Depois de assustá-la, expliquei que, na verdade, o produto dela tinha características que poderiam significar potenciais benefícios, mas que esses benefícios teriam que ser percebidos pelos clientes, e não por quem estava vendendo.

Assim, o valor não é próprio do produto, mas é algo dado a esse produto pelo comprador. Para algumas pessoas, esse sentimento é mais forte ou mais necessário que para outras. Alguns pagam, por exemplo, R$ 5.000 em um almoço, pois enxergam os benefícios em desembolsar essa quantia. Apenas quando consegue enxergar esse valor, o cliente terá a sensação de que a aquisição, independentemente do preço, foi um excelente negócio.

Do contrário é necessário que continue sua busca por uma outra empresa ou profissional, que ele perceba o valor, se não fica claro que a busca é por comprar preço e não qualidade. Pois essa percepção é pessoal de cada um. Toda empresa tem seu mercado e seu posicionamento, ou seja tem o seu valor percebido. Que é muito claro para o mercado é que preço é diferente de QUALIDADE de VALOR.  Somente assim, o cliente poderá enxergar, de fato, o valor de sua aquisição.

Eduardo Pinho.
Consultor e Negociador.